sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Feliz Natal







É o que desejo a todos os amigos e leitores do blog.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

sábado, 19 de dezembro de 2009

Roteiro..


Em visita a Castanhal me encontrei com o Coordenador Nordeste da Juventude do PMDB-Pará, debatemos a organização do "Encontro de Líderes da JPMDB" na Região e as pautas do que será abordado no Congresso.
-
Tive a oportunidade de conversar com o companheiro Joaquim Junior, que venceu as eleições para o Conselho Tutelar de Santa Izabel do Pará com quase dois mil votos, Joaquim se filiou no PMDB e irá participar da JPMDB na cidade.
-
Conversei também com os lideres da JOSC (Jovens Solidários com Cristo) que fazem um excelente trabalho nas comunidades da Zona Rural de Castanhal.
Na foto: Fabiano,Paulo,Sancleyton Alves (Pres.JPMDB Castanhal),Andrezão(Coordenador Regional),Alonquel (Membro da JPMDB Estadual)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Convenção do PMDB



"O PMDB pode ter candidato próprio a Presidente da Republica e ao Governo do Estado do Pará." com essa frase o deputado e Presidente reeleito do PMDB Regional classificou o momento que vive a política Nacional e Estadual, porem, Jáder disse que à hora agora é de meditar e discutir um programa para o Pará e para o Brasil. Estiveram presentes Vereadores, vice-prefeitos, Prefeitos, deputados Estaduais e Federais.

Na foto: Dept. Antonio Rocha, ex-governador Aurélio do Carmo, dept.Jáder Barbalho, dept.Bel Mesquita, Priante, dept.Elcione e em pé do meu lado o Secretário Geral Wilson Ribeiro

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Estudantes pedem "FORA DUCIOMAR"



A decisão de manter o prefeito de Belém, Duciomar Costa, no cargo, levou dezenas de estudantes à sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Belém, onde protestaram com cartazes e pizzas no final da manhã de hoje (9). Uniformizados, alunos do Colégio Paes de Carvalho e integrantes de movimentos estudantis fizeram uma manifestação em frente ao prédio, alertando que este pode ser o início de uma série de protestos.“Não podemos deixar que isso continue, porque todo mundo sabe que com a cassação e depois a liminar que manteve o prefeito no cargo, isso vai acabar em pizza”, disse Mauro Siqueira, representante do Movimento Estudantil. “A saúde, o trânsito e tudo ficou abandonado. O que nós queremos é pedir o apoio da população para evitar que as coisas piorem”.

(Diário Online)


sábado, 5 de dezembro de 2009

Fora Dudu

Entenda melhor a sentença do Juiz no caso em que cassa o mandato de Duciomar Costa e da posse ao segundo colocado, José Priante.




quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

18 milhões para Estudantes


Os deputados Estaduais, Dr.Soares e Chicão solicitaram R$18.393.571,00 através do orçamento do Estado para a Reforma das Escolas Estaduais de Castanhal, no Nordeste do Pará. Hoje fui pessoalmente parabenizar o deputado pela iniciativa que vai beneficiar 21 mil estudantes.


Na foto comigo: deputado Dr.Soares, Secretário Geral da JPMDB Michel Sauma e o suplente de Vereador "Sacola"

Movimento Estudantil


Defendendo a tese em nome do Movimento "Diretas Já" no Congresso da UNE

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Eleições 2010

Vários cenários e em todos o PMDB é o fiel da balança, vejamos os quadros:
--
Cenário 1: Se o PMDB topar a proposta do PT, Jáder é candidato ao Senado e irá apoiar Ana Júlia, indicando também o seu Vice, que pode ser o ex-vice-governador Hildegardo Nunes. Cenário que em minha concepção é quase impossível de ocorrer devido o desgosto do Partido com o Governo petista.
--
Cenário 2: Aliança com o PSDB, indicando Jáder para o Senado e Elcione Barbalho de vice na chapa com Jatene, vale ressaltar que os tucanos governaram o Estado por 12 anos e na Eleição de 2002 o PMDB subiu no palanque de Jatene. Helder como o deputado Estadual mais votado pediu voto para o tucano, e mesmo assim houve traição da parte dos mesmos, o que me faz crer que esse cenário também não é tão viável como dizem.--
-
Cenário 3: Jáder é candidato ao Governo do Pará pela 4ª vez e terá como companheiro de chapa alguém forte no Sul do Pará como o deputado Federal, Giovanni Queiroz e lançará Valéria Pires Franco do DEM para a vaga de Senado, com isso o líder do PMDB teria tempo de televisão para mostrar as grandes obras que fez no estado e uma forte chapa para o Legislativo Estadual e para a Câmara Federal.
--
Cenário 4: O PMDB lança candidato próprio e estes podem ser José Priante, Parsifal Pontes ou até mesmo Helder Barbalho, que vem fazendo um excelente trabalho em Ananindeua. Jáder seria candidato a Senado.
--
A verdade é que todos os quadros não passam de especulações, Jáder só decidirá aos 45 do segundo tempo, isto é, em junho na Convenção do PMDB.

UNE REBATE

Por Augusto Chagas, presidente da UNE

A principal manchete do jornal O Estado de São Paulo deste domingo acusa: “UNE é suspeita de fraudar convênios”. Em toda a página de abertura do caderno, o jornal julga: “a UNE fraudou convênios, forjou orçamentos”. Categoriza-nos de “aliados do governo” e afirma: “a organização estudantil toma dinheiro público, mas não diz nem quanto gastou nem como gastou”.
A afirmação “UNE é suspeita” não veio de nenhum órgão de polícia ou de controle de contas públicas, é uma afirmação de autoria e responsabilidade de O Estado de São Paulo. A principal acusação é de um orçamento de uma empresa não localizada, que aparece numa previsão orçamentária. De resto, outro orçamento de uma empresa que funciona num pequeno sobrado e especulação sobre convênios que ainda não tiveram suas contas aprovadas.
O fato é que a UNE nunca contratou nenhuma das duas empresas, apenas fez orçamentos, ao contrário do que a matéria, de modo ladino, faz crer. Sobre os convênios, o jornal preferiu ignorar as dezenas de convênios públicos executados pela UNE nos últimos anos – todos absolutamente regulares. Ignora também os pedidos de prorrogação de prazos feitos aos convênios citados, procedimento usual e que não tem nada de ilícito.
A diferença no peso dado a duas notícias na capa desta mesma edição evidencia mais ainda suas opções. Com muito menor destaque, denuncia os vídeos e gravações de um escândalo de compra de parlamentares, operadas pelo próprio governador do Distrito Federal. Apenas a penúltima página do caderno trata do escândalo, imperceptível sob a propaganda de um grande anunciante do jornal. Uma pequena fotografia mostra os R$100 mil que foram anexados ao inquérito divulgado pela Polícia Federal. A matéria, em tom jornalístico, não acusa. Pelo contrário, diz que os vídeos, “de acordo com a investigação”, revelam um suposto esquema de corrupção. Talvez o jornalista não tenha assistido às gravações...
Há pelo menos 17 anos este jornal não oferecia à União Nacional dos Estudantes uma manchete desta proporção. A última acontecera no Fora Collor. A hipocrisia da sua linha editorial precisa ser repudiada. Não apenas como esforço de defender a UNE das calúnias, mas para desmascarar os seus reais objetivos.
O principal deles é a desqualificação e criminalização dos movimentos sociais. O MST enfrenta um destes momentos de ataque, seja através da CPI recriada no Congresso pelos ruralistas, seja através da sistemática campanha que procura taxá-lo como “criminoso” para a opinião pública. As Centrais Sindicais sofrem a coerção econômica do patronato, policialesca do sistema judicial, e a injúria de parte da grande mídia. A UNE, que acaba de construir o congresso mais representativo dos seus 72 anos de vida, foi tratada como governista, vendida, aparelhada e desvirtuada de seus objetivos pela maioria das grandes rádios, jornais e revistas.
A grande imprensa oscila entre atacar os movimentos sociais ou ignorá-los - como fez recentemente com a marcha de mais de 50 mil trabalhadores reunidos em Brasília reivindicando a redução da jornada de trabalho. Este jornal, por exemplo, não achou o fato importante a ponto de noticiá-lo.
As organizações populares e democráticas devem ter energia para reagir prontamente. É fundamental que o façam de maneira unificada, fortalecendo-se diante dos interesses poderosos que enfrentam. Que fique claro: o setor dominante tenta impedir as profundas transformações que estas organizações reivindicam e que são tão necessárias à emancipação do povo brasileiro e à conquista da real democracia no país.
A manchete do Estadão evidencia também a maneira como a grande mídia trata o problema da corrupção no Brasil: como instrumento de luta política por seus objetivos e com descarado cinismo. Seja pela insistente campanha para desconstruir no imaginário popular a crença na política e no Estado, ou pelas escolhas que faz ao divulgar com destaque desproporcional irregularidades que envolvem aliados ou adversários, criando ou abafando crises na opinião pública.
Na verdade, pouco fazem para enfrentar os verdadeiros problemas da apropriação privada daquilo que é público. A UNE, pelo contrário, sempre levantou a bandeira da democracia. Alguns de nossos mais valorosos dirigentes deram a vida lutando por ela. E afirmamos com veemência: a UNE trata com absoluta responsabilidade os recursos públicos que opera e os aplica para atividades de grande interesse da sociedade.
Às vésperas da primeira Conferência Nacional de Comunicação, o movimento social deve intensificar a luta pelos seus direitos. O enfrentamento à despótica posição da mídia brasileira é um dos grandes desafios que o país terá na construção da democracia que queremos.
O movimento social brasileiro vive um momento de grande unidade, que pode ser visto pela sólida relação entre as Centrais Sindicais e pelo fortalecimento da Coordenação dos Movimentos Sociais. Não à toa, a UNE foi mais uma vez atacada. “Saibam que estamos preparados para mais editoriais, artigos, comentários e tendenciosas ‘notícias’”, afirmei em artigo publicado no dia 24 de julho, apenas cinco dias após a realização do nosso 51º Congresso. Os meses que se passaram não tornaram a afirmação anacrônica. Pois que todos saibam que a UNE não transigirá um milímetro de suas convicções e disposição de luta por um Brasil desenvolvido e justo.

Túnel do tempo




quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Casa Grande & Senzala


Quando li pela primeira vez o melhor livro de Gylberto Freire, este, me foi indicado por um grande líder político que me disse na época – “Meu filho, se você quer ser político, seja dos bons e aprenda bastante, seja conhecedor da nossa realidade..”. Este fato ocorreu logo depois que passei no vestibular e no inicio não dei muita bola para o livro que me foi dado, depois de alguns meses tive a oportunidade de ler, foi o despertar do meu interesse na cultura, política e principalmente nos problemas sociais. Casa Grande & Senzala retrata como nenhum outro a organização social e política que se instaurou no Brasil e que até hoje ainda tem grande influencia..
Vale à pena conferir..

JPMDB Castanhal




A juventude de Castanhal visitou as obras de reforma das Escolas Estaduais conseguidas pelo deputado Estadual Dr.Soares em parceria com o Secretário de Obras do Pará, Chicão.

Requião tem razão



Encontro realizado no Paraná defendeu a Candidatura própria do PMDB a Presidência da República e lançou o nome do Governador, Roberto Requião. Defendo, assim como grande parte da Juventude do partido que lancemos candidatura própria, porem, não acredito na manobra montada pela ala “Serrista” que é minoria dentro da agremiação para tentar esvaziar o apoio Pré-eleitoral com o Partido dos Trabalhadores. Se a candidatura de Requião for realmente uma vontade homogênea do partido e que esta candidatura venha realmente do seio emedebista de realizar a construção de um “Plano de Governo para o Brasil” terá o apoio da grande base dos núcleos e de seus lideres regionais, agora, se esta iniciativa for uma estratégia da “Direita” do PMDB... Aí são outros quinhentos e a chapa estará fadada ao insucesso como ocorreu com

Garotinho em 2006.
--

Requião é um dos melhores Governadores do Brasil, tem pulso firme e visão de estadista, é um dos melhores nomes que o PMDB tem a nível nacional.





quarta-feira, 25 de novembro de 2009

"Já não se encantarão os meus olhos nos teus olhos, já não se adoçará junto a ti a minha dor.
Mas para onde vá levarei o teu olhar e para onde caminhes levarás a minha dor.
Fui teu, foste minha. O que mais? Juntos fizemos uma curva na rota por onde o amor passou.
Fui teu, foste minha.
Tu serás daquele que te ame, daquele que corte na tua chácara o que semeei eu.
Vou-me embora. Estou triste: mas sempre estou triste.
Venho dos teus braços.
Não sei para onde vou....Do teu coração me diz adeus uma criança.
E eu lhe digo adeus."

Pablo Neruda

sábado, 21 de novembro de 2009

Castanhal é + Juventude







A Juventude do PMDB/Castanhal se reuniu neste sábado para organizar a 2a Convenção da ala Jovem do Partido na Cidade Modelo do Estado. A reunião contou com presenças ilustres como a do ex-prefeito e ex-deputado federal, Paulo Titan além do ex-prefeito e deputado, Dr.Soares. Foi discutida na reunião a renovação da Executiva bem como a estratégia que a Juventude Municipal vai usar nas eleições de 2010. O Companheiro André Magnano retornou ao partido no mesmo encontro e irá ficar responsável pela Coordenação da JPMDB no Nordeste do Pará.
--
A Chapa que ainda está sendo construída contará com Sancleytton Alves, Paula Titan, Sasá, Junior Nobre, Miguel da Jaderlândia, Andrezinho, Chiara Soares, Alonqueo Uchoa, Prof. Alessandra, Orivan e Messias.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Em defesa da Juventude


Aconteceu segunda-feira a audiência da JPMDB com o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado Domingos Juvenil. Em pauta reivindicamos o compromisso do legislativo no que tange os projetos da juventude, que precisam de apoio e articulação política para ser aprovados, mais do que importante o encontro foi significativo, Juvenil se comprometeu em organizar uma agenda em conjunto com as juventudes partidárias e os segmentos que compões a demanda. Levamos também o projeto da reconstrução da "Frente Parlamentar de Juventude" que foi abandonada pela nova Coordenadoria de Juventude.
--
Aproveitamos e reafirmamos a vontade da juventude emedebista em ter candidato próprio ao Palácio dos despachos.
--
Me acompanharam na audiência o Vice-presidente da JPMDB/Pa, Vereador Mauro Alexandre e o Secretário Geral da JPMDB/Pa, Michel Sauma.

Poder sem pudor

Ao embarcar numa viagem para Brasília, o então deputado estadual alagoano Gervásio Raimundo foi logo chamando o comissário de bordo: “Araújo, vem cá!” Pediu água. Um deputado sentado ao lado ficou impressionado:- Você conhece o comissário?- Eu, não.- Mas você o chamou pelo nome...- Ora, em navio não tem marujo? Em avião, é “araújo”...

Por Claudio Humberto

domingo, 15 de novembro de 2009

JPMDB agora no Curió-Utinga




Foi fantástica a fundação do Núcleo do PMDB do Curió - Utinga, momento em que filiamos 215 jovens do bairro. No meu discurso fiz questão de mostrar que estava voltando ao bairro que me deu a condição de estar entre os 5 mais votados do mesmo nas Eleições de 2008, que apesar de não ter mandato estava La incentivando a organização dos moradores para cobrar devidas demandas do bairro.
--


Os moradores fizeram criticas ferrenhas ao Prefeito Duciomar Costa e disseram que vão transformar o Curió no bairro do PMDB.




Depois do ato de fundação aconteceu um Torneio de Futebol Masculio e Feminino

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Hildegardo e a Juventude



Estive hoje com o Secretário de Governo de Ananindeua e ex-vice-governador, Hildegardo Nunes, a reunião fez parte do Roteiro da JPMDB que visa mostrar o planejamento do núcleo e defender a candidatura própria do partido ao Governo do Estado. Hildegardo disse que Ananindeua está na frente dos outros municípios do Pará no que tange a Juventude, já que o mesmo é o primeiro do Estado a ter um Centro de Juventude que abriga diversas Políticas Públicas de Juventude como os Cursinhos Populares que atendem mais de 2 mil estudantes.

--

Parsifal assume compromisso com a Juventude




Estive reunido em nome da JPMDB com o Deputado Estadual e Líder do PMDB na ALEPA, Parsifal Pontes, em pauta a articulação da Frente Parlamentar de Juventude (Que já tinha sido articulada pelo ex-assessor de Juventude da Casa Civil mais que parou por falta de articulação política da nova gestão). O deputado garantiu apoio junto à bancada do PMDB, frisou também a importância da Juventude do PMDB no processo de debate junto aos deputados no que tange o segmento.
-----
Participaram da Reunião Parsifal Pontes (Deputado Estadual e Líder do PMDB na ALEPA), Josenir Nascimento (Diretor-Executivo da Federação dos Municípios do Estado do Pará), Miguelzinho (Presidente do Diretório do PMDB/Tucuruí),Pacheco (PMDB/Tucuruí),João Medeiros (ex-prefeito de Cametá),Michel Sauma (Secretário Geral da JPMDB) e André Guedes (Coordenador da JPMDB na Região Transamazonica)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Convenções do PMDB

O fim de semana foi muito intenso, cheio de Convenções do PMDB. Participei na sexta-feira em Irituia e São Miguel do Guamá e no domingo nas de Belém, Castanhal e Santa Izabel do Pará, por onde andei defendi a candidatura própria do PMDB ao Governo do Pará.

Acompanharam-me em São Miguel e Irituia os companheiros de executiva da JPMDB, Mauro Souza (Presidente da Câmara de Vigia), Flávio Ferreira (Vereador de Irituia), Duddu Kahwage (Presidente da JPMDB/Belém), Sancleytton Alves (Presidente da JPMDB/Castanhal) e o Secretário Geral da Juventude, Michel Sauma.


Convenção em Irituia



Deputado Parsifal Pontes,Joércio Barbalho,ex-prefeito de Cametá João Medeiros,Duddu Kahwage,Vereador Flávio Ferreira
Convenção em Belém


Convenção em Belém


Convenção em São Miguel do Guamá


terça-feira, 20 de outubro de 2009

7ª. CIÊNCIA, CAPACITAÇÃO E EDUCAÇÃO

Mangabeira Unger disse que vai aproveitar o fascínio internacional pela Amazônia para atrair a vanguarda científica mundial e, também pesquisadores brasileiros. O ministro comentou que apesar de oferecer incentivos financeiros, os brasileiros ainda não se dispõem tanto a deixar o Centro-Sul para morar no Norte do país. Há ainda a proposta de criação de uma “nova escola média brasileira”, com a ampliação dos CEFETs – que combinam o ensino geral com orientação técnica e profissional – na região

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

6ª. TRANSPORTE MULTIMODAL

Para superar o isolamento da região e a obsessão nacional por rodovias, Unger sugere a integração entre sistemas ferro, hidro e aeroviários. O que significa, nas palavras do ministro, entre outras medidas, dar continuidade à rodovia 163 cercada por corredores protetores da floresta, à rodovia Norte-Sul e à hidrovia Teles Pires Tapajós.

sábado, 17 de outubro de 2009

Juventude em Santa Bárbara




Completando o nosso roteiro pela Região Metropolitana, visitamos Santa Barbara do Pará. A grande reunião da Juventude ocorreu no Sítio Rubicolândia e estiveram presentes cerca de 100 militantes. Fizeram uso da palavra a Vereadora Célia do PMDB, Claudineia Barros do Diretório Municipal de Santa Barbara além do Advogado Elias, da Presidente do PMDB Mulher e do companheiro Rock, da JPMDB. Na minha fala abordei a importância do jovem no processo político e a luta pela candidatura própria do PMDB ao Governo Estadual. Ao final entregamos brindes para a moçada presente.

5ª. ORGANIZAÇÃO DA REDE INDUSTRIAL

A proposta é criar uma rede de pólos industriais nas cidades e periferias urbanas da Amazônia. Na região florestada, as indústrias se destinariam à transformação de produtos madeireiros e não madeireiros. “Não é aceitável que a produção se resuma a motocicletas e celulares que não têm nada a ver com a floresta”. Ainda há que se pensar no desenvolvimento de tecnologias para manejo de florestas heterogêneas, como é o caso da Amazônia, já que, hoje, dispomos de técnicas que servem mais às florestas temperadas, que são mais homogêneas. Unger também propõe que seja feito o manejo comunitário das floretas, tendência que tem se firmado em outras nações florestais. Para o cerrado, o ministro pensa em indústrias que transformem produtos agropecuários e aumentem seu valor agregado.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

4ª. REORGANIZAÇÃO DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

De acordo com Unger, é possível duplicar a área cultivada e triplicar a produção agrícola “sem tocar em uma única árvore”. Ele argumenta que o Brasil já ocupa um lugar de destaque na agricultura a nível internacional se que tenhamos feito as obras físicas e institucionais necessárias. Se fizermos, ocuparemos um lugar sem par no mundo, dadas nossas condições de água, solo e sol. A obra física seria a recuperação das pastagens degradadas e a substituição da pecuária extensiva pela intensiva, combinada com atividades agrícolas e manejo florestal. Atualmente, para cada hectare de lavoura, há três destinados à pecuária extensiva, favorecendo a dinâmica de degradação cumulativa das pastagens. Além de recuperar pastagens, outra transformação importante seria mobilizar fundos para a produção nacional de fertilizantes, de modo a fugir do cartel internacional, que fica com 40% do valor gerado pela agricultura brasileira. Em termos institucionais, Unger propõe: - coordenação estratégica do Estado para que pequenos e médios produtores se organizem para comercializar seus produtos e ganhar escala no mercado; - seguro agrícola e de renda contra risco climático e econômico; - reorganização dos mercados agrícolas, fortalecendo os produtores diante dos fornecedores e compradores cartelizados, por meio de mecanismos jurídicos que aprofundem a concorrência em vez de suprimi-la e - promoção da industrialização rural para a transformação dos produtos agropecuários, agregando valor ao campo e evitando o êxodo rural;

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

3ª. AUXÍLIO AOS PEQUENOS PRODUTORES

Unger alerta que os pequenos produtores extrativistas e agrícolas ocupam áreas de transição entre a floresta e o cerrado e, por falta de condições financeiras acabam vendendo madeira ilegal ou deixando os bois entrarem nas propriedades, e funcionam como uma linha involuntária de expansão da devastação. Para o ministro, a tarefa do PAS é providenciar atividades ambientalmente seguras e economicamente viáveis para esses pequenos produtores, com apoio técnico e financeiro e compensação especial para quem preservar a floresta, sacramentando um vínculo deles com esse “projeto alternativo”. “Vamos transformar essa gente num cinturão protetor da floresta amazônica”, disse Unger.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

2ª. POLÍTICA CONTRA O DESMATAMENTO

Essa segunda proposta segue a idéia de assegurar que a floresta valha mais em pé do que derrubada. Para tanto, o ministro prevê três tarefas principais a serem executadas: - municiar as unidades de conservação com pessoas e meios técnicos; - construir bases técnicas e econômicas para manejo sustentável nas partes das unidades de conservação que permitem a atividade humana controlada e - resolver o problema da ilegalidade maciça em que se encontram as populações da Amazônia. Sobre esse último ponto, Mangabeira Unger lembra que muitos brasileiros foram convidados a ocupar e desenvolver a Amazônia durante a década de 70, quando o desmatamento era considerado imprescindível para que as pessoas adquirissem crédito e terras. E hoje as mudanças nas leis as colocam na ilegalidade. Unger diz que também é preciso decidir de que maneira as áreas ilegalmente devastadas podem ser reflorestadas e que é preciso considerar a construção de reservas compensatórias em locais próximos, já que nem sempre é possível recuperar as reservas no mesmo lugar.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

1ª. REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mangabeira Unger acredita que a prioridade máxima para que se atinja o desenvolvimento sustentável na Amazônia Legal é promover a regularização fundiária, seguida do zoneamento ecológico e econômico. Segundo o ministro, menos de 4% das terras particulares estão em situação jurídica regular. “Enquanto for esse caos fundiário, onde ninguém sabe quem tem o que, o saque será mais atraente do que a preservação ou a produção”. Unger diz que nenhuma nação conseguiu resolver seus problemas de titularidade e transmissão da propriedade rural sem simplificar as leis e os procedimentos jurídicos, portanto, esse também deve ser o caminho do Brasil. A idéia do ministro é que propriedades de até 1.500 hectares tenham dispensa de licitação. Para as de até 2.500 hectares seria exigida a licitação e, propriedades maiores não poderiam obter licitação sem a aprovação do Congresso. Com isso, ele espera que um grande número de propriedades menores se regularize, as intermediárias permaneçam um tempo “no limbo, porque é difícil organizar a venda com licitação” e que boa parte das maiores seja devolvida ao Estado. Unger também considera a possibilidade de agir com “método de varredura”, de modo que o governo atue diretamente em algumas áreas para resolver os problemas de regularização no local, já que “não se consegue resolver um problema sem resolver os das posses circundantes”. Além disso, uma das intenções do PAS é organizar a colaboração federativa entre os estados da Amazônia, coordenados pelo governo federal, para auxiliar na regularização fundiária. Caberia a uma agência executiva, como o INMETRO, e não reguladora, representar o governo federal neste trabalho com os estados. O programa ainda considera da tratamento diferente às regiões de floresta e de cerrado, dentro da Amazônia Legal, ao fazer o zoneamento ecológico e econômico

Desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal


O blog vai publicar sete propostas para o Desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal. Todas elas elaboradas pelo Professor Mangabeira Unger

domingo, 11 de outubro de 2009

Feliz Círio

A todos os paraenses um feliz Círio de Nazaré

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Quem entra no PMDB

Paulo Titan - ex-deputado Federal e ex-prefeito de Castanhal

Zeca Pirão - ex-vereador e ex-candidato a Vice-prefeito de Belém em 2008

Italo Todd - Promotor de Rodeios e festas em Paragominas

Macarrão - ex-prefeito de Tailândia

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Zeca Pirão agora é 15

Participei na sexta-feira passada da filiação do ex-vereador Zeca Pirão, momento em que fiz uso da palavra e ressaltei a importância da candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado e os discursos que vieram depois do meu foram no mesmo sentido. Cada vez mais acredito que lançaremos chapa majoritária forte nas próximas eleições. LAMBADA NELES

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Lugar de Mulher é na política

As mulheres não precisam apenas de um Espaço Político, mas sim de garantir sua participação no processo democrático.

Desde o principio da humanidade a mulher era e ainda é vista como um ser frágil e que não tem “capacidade” raciocínio-lógico de enfrentar situações que envolvam o poder, podemos dizer que o marco da vitória da mulher sobre a visão social machista aconteceu no dia 4 de fevereiro de 1932 quando foi constituído o voto feminino brasileiro que instituiu o Código Eleitoral Brasileiro, sendo esse direito assegurado na Constituição de 1934. Cabe lembrar que segundo as disposições transitórias, no artigo 121 do Código Eleitoral, as mulheres não eram obrigadas a votar só depois de anos lutando por direito iguais que finalmente conseguiu-se chegar em alguns dos objetivos inicias da luta das mulheres em ter direitos iguais.Os direitos de votar e de candidatar-se sem restrições não necessariamente foram produzidos juntamente, as mulheres americanas foram as primeiras a conseguir a proeza de conquistar o direito à serem eleitas em 1788, mas o direito de votar só foi adquirido em 1920.Desde daí já podemos perceber que mesmo a sociedade tendo dado tal espaço para a mulher de forma concreta restringiu seu crescimento no meio político,e só depois de 132 anos que as mulheres Américas conseguiram o direito de votar, esse é um dos exemplos de que nossa liberdade foi toldada de forma bastante brusca.Mesmo no século XXI ainda passamos por muitas exclusões tanto políticas quanto sociais, percebemos nitidamente a exclusão das mulheres na política, mesmo que estejamos vivendo em um país democrático pouco se percebe essa dita democracia, pois ainda é muito difícil vermos uma mulher liderando um partido ou ascendendo no poder.A representação feminina ganhou mais poder eleitoral depois que a ditadura militar teve fim e com isso a redemocratização do país recomeçou, parece que com o passar do tempo nossas vidas estão regredindo, pois são cada vez menores o números de Deputadas Federais e Senadoras eleitas, apenas 8 senadoras foram eleitas até 1996, porque será que isso vem acontecendo se a tendência seria acontecer o inverso?Isso só o tempo poderá nos dizer, mas com toda a certeza as mulheres vão continuar lutando por seu espaço e conseguiram subir cada vez mais em busca do poder que ainda está muito monopolizado.Afirmo com toda a certeza que a LUTA não cessara até cegarmos ao topo, onde é o lugar que todas deveríamos estar. E quando tivermos lá olharemos pra trás e perceberemos que mesmo com todo o histórico de sofrimento conseguimos vencer e que tudo isso é graça a força, coragem e garra que a mulher tem em seu interiorPor isso vamos mulheres vamos correr atras de tudo que almejamos conquistar,pois não iremos apenas contentarmos-nos com um “pequeno espaço na politica” mas sim com a participação da da mulher no precesso democratico politico.

Laís Gomes é Estudante de Direito da ESMAC e Membro da Juventude do PMDB/Pará

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Senado aprova web livre nas eleições

Senado aprovou nesta terça-feira (15) a liberdade na internet durante as eleições. A aprovação aconteceu por votação simbólica depois que o relator da reforma eleitoral, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), recuou e apresentou um novo parecer propondo a liberdade na internet durante as eleições. O projeto retornará agora para a Câmara, onde foram impostas restrições ao uso da internet. O texto original dos deputados enquadrava a web a regras de rádio e TV. Desta forma, não seria permitida a emissão de opinião e todos teriam que dar o mesmo espaço para todos os candidatos. O texto anterior do relator do projeto de reforma no Senado dizia que seria vedado aos portais e empresas de comunicação social veicular na web pesquisa que contenha manipulação de dados ou dar “tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação, sem motivo jornalístico que o justifique”. O novo texto de Azeredo retira as restrições à web impostas anteriormente e determina que “é livre a manifestação do pensamento, vedado o anonimato durante a campanha eleitoral, por meio da rede mundial de computadores – internet – assegurando o direito de resposta”.Foi feito um acordo em plenário para a aprovação do novo parecer, já que os senadores Álvaro Dias (PSDB-PR) e Aloízio Mercadante (PT-SP), que tinham emendas defendendo a liberdade da web, apoiaram a modificação.O texto determina também a liberdade para “outros meios de comunicação interpessoal mediante mensagem eletrônica”. A nova versão determina ainda que “as representações pela utilização indevida da internet serão apreciadas na forma da lei”.Para entrar em vigor em 2010, o projeto precisará ainda retornar para a Câmara, ser sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e publicado no Diário Oficial da União até o dia 3 de outubro. Fonte: G1

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Padilha defende candidatura própria do PMDB


Após reuniões e encontros com a militância peemedebista em todo o Brasil, o presidente da Fundação Ulysses Guimarães Nacional, deputado Eliseu Padilha, levou à cúpula partidária o resultado: a necessidade de ser realizado com urgência, o Congresso Nacional do Partido, com vistas a decidir o futuro político do PMDB e a avaliar a possibilidade dele ter sua própria candidatura à Presidência da República.

Para Padilha, é frustrante ver o maior partido, aquele que tem a maior militância, maior número de vereadores, prefeitos, deputados estaduais, deputados federais, senadores, governadores, não ter o seu próprio candidato a Presidência da República. “É absolutamente normal o maior partido ter o candidato e os menores o apoiarem”, afirmou.

Além disso, o presidente acredita que a candidatura própria do PMDB representaria o “Instinto de Preservação Partidária”, para continuar na condição de maior partido do Brasil.

“O PMDB deve estabelecer, um novo rumo, em conformidade com o momento histórico em que a política está sendo vivenciada”, ressalta Padilha. E, pensa que a única forma de virar esta página é apresentar uma proposta capaz de estimular o debate junto à sociedade brasileira, com temas que digam respeito ao século XXI, com transparência absoluta e interação com a base e com a sociedade.

Eleições 2010 – Além de apoiar indiscutivelmente a tese da candidatura própria do PMDB, Padilha afirmou que a possível candidatura à Presidência da República em nada prejudicará o compromisso que o partido tem de apoiar, no Congresso Nacional, o Presidente Lula, até o último dia de seu governo. No entanto, que fique claro que tal apoio não inclui nenhum compromisso de apoiar sua candidata, ou a candidatura de seu partido, à Presidência da República. “O PMDB ciente de sua magnitude, com a responsabilidade de ser o maior partido do Brasil, não pode se acomodar à desmoralizadora condição de periférico apoiador de governos”, concluiu.

Leia íntegra da entrevista com o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, deputado Eliseu Padilha, no site do Programa EAD/FUG:

http://www.ead.fugpmdb.org.br/projeto/noticias_detalhes.php?codigo_noticia=338

O PODER DA GENTE



Na Grécia antiga houve um filósofo, de nome Aristóteles, que definiu política como sendo “a arte da busca permanente das soluções para os problemas do povo”.
O tempo passou. E essa definição sobre política perpetuou-se, passando pelo chamado período das “trevas”, como dizem os historiadores, e chegou ao “iluminismo”, época em que as pessoas despertaram para novas idéias, que eram debatidas nos “cafés” e “salões” de Paris e em meio ao povo, que se encantava com a tese revolucionária, oriunda da Maçonaria, sobre a liberdade, igualdade e fraternidade entre os homens, e, ainda, a de que o poder poderia nascer do povo e em seu nome ser exercido, em favor do mesmo povo.
Mas, em meio a essa ebulição de idéias, havia uma outra tão fantástica quanto as demais e que, a rigor, as completava: a da democracia. E essa era tão notável que Rousseau – o seu maior filósofo, refletindo sobre ela concluiu: “se houvesse um povo de Deuses, governar-se-ia democraticamente. Um governo tão perfeito não é próprio dos homens”.
É óbvio que para alguns, essas novas idéias não passavam de utopia. No entanto para outros era uma revolução. De início, uma revolução do pensamento filosófico, mas, com o passar do tempo e estimuladas pela fome de alimentos, essas idéias ganharam eco e levaram o povo a promover a maior e a mais importante das revoluções da história da humanidade – a revolução francesa. Não só por que o rei e a rainha da França foram decapitados na guilhotina, juntamente com toda sua Corte, mas porque, a partir dela, o mundo mudou, graças a consolidação e disseminação das idéias de democracia e de república.
Todavia, e por razões das mais diversas, a tão sonhada república não vingou na França. E o general Napoleão Bonaparte, em nome da ordem e da disciplina, restaurou a monarquia e tornou-se imperador.
Contudo, a idéia de um “governo do povo, para o povo e pelo povo”, num sistema onde os poderes fossem independentes entre si e que tivesse como regra a liberdade, a igualdade e a fraternidade entre as pessoas, atravessou o Atlântico, e, do outro lado do mundo, fez surgir os Estados Unidos da América do Norte, cuja democracia e estrutura de Poder servem de modelo, até hoje, para muitas repúblicas democráticas.
Mas, em meio a todo esse processo de evolução política porque passou a humanidade, muitos estudiosos, apesar de concordarem com a definição aristotélica, entendem que política é, também, “a arte da convivência dos contrários”; e, mais modernamente, “a arte dos debates das idéias”.
É óbvio que, apesar de concordar com a definição de Aristóteles, não posso resistir à idéia de que política, além de ser “a arte da convivência dos contrários”, é, também, “a arte dos debates das idéias”; até porque, é no debate das idéias que é possível, efetivamente, surgirem as soluções para os problemas do povo, dos países e do mundo.
Certo está, portanto, Aristóteles, que, lá na Grécia antiga, enxergou a política como sendo uma arte de busca permanente da solução dos problemas do povo; como certos estão, também, os que entendem que é no debate das idéias que surge a luz para os novos caminhos do mundo.
Como se vê, a política foi, é e sempre será o instrumento de transformação da sociedade, que poderá ser para melhor ou para pior, dependendo apenas da gente. De cada um, para ser mais preciso.
Seja como for, por pior que as coisas possam parecer, o que não pode acontecer, jamais, são as pessoas perderem a capacidade de indignarem-se diante dos acontecimentos e de reagirem através do debate das idéias. Aliás, foi dessa forma que na década de oitenta derrubou-se o regime militar, e, no início dos anos noventa, cassou-se o mandato do Presidente Collor. Em ambos os casos, não houve a necessidade de ser dado nenhum tiro. Apenas utilizou-se o poder do verbo, no debate das idéias e no convencimento das pessoas.
Esse é o caminho, a meu ver. E que os jovens, como antigamente, voltem a fazer política nos grêmios estudantis, nos diretórios acadêmicos ou no bar da esquina, se for preciso. Discutindo, por exemplo, um novo pacto federativo para o Brasil, a atrofia dos Poderes da República, a deficiência do SUS nos municípios, a estrutura curricular do ensino, dentre outros.


O Artigo foi escrito e enviado pelo ex-deputado Federal Nicias Ribeiro

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

PMDB AVANÇA


Cada dia que passa, me convenço mais que o PMDB deve marchar em torno de uma candidatura própria ao Governo do Pará.

Os números de todas as pesquisas apontam o partido como preferência do eleitorado paraense. O deputado Jáder Barbalho aparece em todos os cenários com ampla vantagem em comparação ao segundo colocado, o que me faz crer que ele pensa muito na hipótese de sentir, de novo, o gostinho de disputar uma eleição majoritária.
Fico impressionado com o brilho nos olhos de velhos militantes, quando dizem com entusiasmo e, até mesmo com um ar saudosista, dos tempos de luta e glória do partido. Relembram fatos históricos das campanhas de 1982 e 1990.

Em 82, o PMDB enfrentou os resquícios da ditadura, com a chapa Carneiro/Passarinho, e, em 1990, o poder da máquina administrativa, dos meios de comunicação e do empresariado local, representados pela chapa do então prefeito da Capital, Sahid Xerfan.
Em ambos os pleitos, a agremiação, em clima de unidade e muita coragem, foi às ruas e junto com o povo do Pará, conduzindo o hoje deputado Federal Jader Barbalho ao maior cargo do Executivo Estadual.


Observo também à vontade dos mais jovens em viver aquilo que sempre escutaram falar, dos embates travados, do frio na barriga, do debate ideológico-programático.


O partido precisa desta candidatura para reafirmar o seu compromisso com o povo paraense, que é não apenas eleitoral. Antes disso, seria uma alternativa viável para solucionar os grandes problemas vividos pela população. Precisamos ter visão para perceber que, quem vive no passado e não constrói no presente, dificilmente terá futuro.


O partido deve mostrar que continua com os mesmos ideais de vanguarda do progresso e do desenvolvimento sendo, ao mesmo tempo, combativo em defesa das lutas do povo. Tenho a certeza de que travaremos o bom combate com uma candidatura própria que venha a suprir as necessidades do Pará.


Viva o MDB Velho de Guerra!


Foto tirada a pedidos da militancia peemedebista, já que também se encontra um pré-candidato de outro partido

O furo do ano

Virou palavrão a morte do ex-governador de Sergipe Sebastião Celso de Carvalho, 85, dias atrás. O Diário Oficial publicou o luto decretado pelo governador Marcelo Deda (PT) com sobrenome impublicável do falecido em quatro trechos. Celso Carvalho, como era conhecido, não tinha sorte: em abril, anunciaram a morte dele no rádio, julgando-o carta fora do... baralho.





Fonte: Claudio Humberto

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Reunião da JPMDB/Pará

Reunião de Presidentes das Juventudes do PMDB no Pará. Dia 11 de Setembro, na Sala Vip da Assembléia Legislativa.

Resumo do Twitter

- Jovens entre 12 e 18 anos são mais suscetíveis à evasão escolar e à violência - www.gabrielsouza.com

- A Juventude do PMDB-Pará agora no Twitter: www.twitter.com/jpmdb_pa

- Encontro Rural da Juventude FETAGRI: www.juventudeempauta.blogspot.com

- UNE defende 50% dos recursos do pré-sal para Educação

- Deveria ser uma atividade permanente da UNE o fomento de Assessoria Jurídica Popular dentro das Universidades. O projeto é fantástico

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Câmara aprova regras para música ao vivo e couvert artístico

Genoíno, que relatou a matéria na comissão, apresentou parecer pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa.
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, na última quarta-feira (26), a regulamentação para a música ao vivo em bares e restaurantes. O texto aprovado foi o substitutivo da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, para os projetos de lei 2094/07, do deputado Gilmar Machado (PT-MG), e 3306/08, do deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), que tramita apensado. Como a proposta tramita em caráter conclusivo, se não houver recurso, será enviada para análise do Senado Federal. O relator na comissão, deputado José Genoíno (PT-SP) apresentou parecer pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa do substitutivo e também dos dois projetos.O texto aprovado reúne os principais pontos das duas propostas. O projeto de Gilmar Machado disciplina o pagamento de couvert artístico, mas com destaque para a questão trabalhista, pois estabelece condições de trabalho para músicos em bares e restaurantes que oferecem música ao vivo. Já a proposta de Lelo Coimbra busca regulamentar também os direitos dos clientes. Ela torna expresso que os estabelecimentos só poderão cobrar couvert do cliente se oferecerem música ao vivo pelo menos durante parte do período em que ele estiver no local. Esse projeto estabelece ainda que todo valor arrecadado a título de couvert artístico reverterá integralmente para os músicos profissionais que prestam serviço para a empresa.ContrataçãoA contratação do músico profissional, de acordo com o texto aprovado, poderá seguir dois modelos: - remuneração por turno: no qual o estabelecimento, junto com o músico, fixa o valor da remuneração e o total de horas de trabalho; ou - remuneração variável, no qual o músico é remunerado pelo repasse integral dos adicionais cobrados de clientes.A informação sobre a cobrança também deverá constar do cardápio, incluindo o valor cobrado e os dias e horários das apresentações. Como parte da matéria tem implicações trabalhistas, além de normatizar o pagamento e o repasse do couvert artístico, o substitutivo da Comissão de Trabalho altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Reportagem - Juliano Pires/SR (Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara')

Blog volta

O Blog volta a ser atualizado, de forma mais simples, durante a semana vão ocorrer postagens rápidas como as que ocorrem no twitter (www.twitter.com/igornormando) e nos fins de semana colocarei artigos ou comentários mais elaborados.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Argentina Avança

Nessa sexta-feira, 14.08.2009, Cristina Kirchner anunciou um programa de obras públicas que pretende criar 100 mil postos de trabalhos diretos. A primeira etapa demandará um investimento de 1,5 bilhão de pesos argentinos (US$ 389 milhões). A fase inicial do plano será aplicada na malha urbana ao redor de Buenos Aires, que apresenta altos índices de pobreza e desemprego, Mas a ideia é abrir, posteriormente, novos períodos em outras regiões do país, disse.

Cristina afirmou que a iniciativa tem o objetivo de criar centenas de cooperativas que trabalhem em obras de saneamento básico e abastecimento de água, infraestrutura urbana e comunitária, manutenção de espaços verdes e construção de casas.


Lançamos o plano para abordar o problema da pobreza através da criação do emprego, que é o melhor antídoto
afirmou Cristina. A taxa oficial de desemprego na Argentina foi de 8,4% no primeiro trimestre de 2009, o que significa que, entre janeiro e março, 948 mil pessoas não tinham emprego.

Geralmente, cada emprego direto criado redunda em 2 ou até 3 empregos indiretos gerados: ou seja, se o programa obtiver êxito em gerar 100 mil empregos diretos, poderá gerar pelo menos 300 mil totais e assim sanar (ou aliviar temporariamente) cerca de um terço do desemprego na Argentina.

O plano de Kirchner foi diretamente à ferida: o lucro empresarial. A verdade é nua e crua: na empresa convencional, o empresário é uma espécie de "entrave", um "subtrainte", entre o dinheiro faturado pela empresa e o pagamento que o funcionário recebe. Através do cooperativismo, essa margem é eliminada e a função social (fazer a riqueza chegar aos bolsos da população comum) é executada com melhor performance.

E qual seria a importância de fazer a riqueza chegar aos bolsos da população comum? Em pouco tempo eles gastarão (quase) tudo, aquecendo a economia nacional... Texto que aconselho ler: Salário: custo de produção ou motor do mercado?



Alan Lemos é Estudante de Econômia da Unama, Diretor da JPMDB e Secretário Geral da UAP

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Sobre a SEJUDH: Por Pedro Fonteles

Companheiros e Camaradas,

Muito se tem falado sobre o rumo que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos no Pará teria a levar, de fato o que temos é a mudança de comando dessa estratégica Secretaria.
No último dia 11/08 a Governadora Ana Júlia, ao telefone agradeceu ao presidente do PCdoB, Neuton Miranda, o trabalho do Partido à frente da SEJUDH. Com a justificativa de ampliar a base de apoio do governo, o Partido Comunista do Brasil acabou por perder o espaço que possuía.
Não vamos entrar no debate sobre quem a assumirá, mas não podemos deixar de registrar o trabalho feito pelos comunistas a frente da SEJUDH. Em 3 anos de gestão, o PCdoB abriu as portas desta para o povo, e o fez representar. Transformou a Secretaria em um instrumento de luta pela sociedade igualitária, trabalho merecedor de elogios, talvez por isso a SEJUDH esteja hoje sendo alvo de disputas e negociações dentre a dita base de apoio ao governo estadual.
O fato é que o povo paraense perde com a saída do partido que tanto acúmulo tem para debater e defender os direitos humanos e a justiça no nosso estado. Ora, estamos acostumados a essa luta, sempre tivemos em nossas fileiras e perdemos diversos militantes que tombaram na luta por um Pará sem injustiças, sem preconceitos, sem crimes pela posse da terra, por um Pará verdadeiramente de direitos, por um Pará de todos e de todas, com respeito aos Direitos Humanos e à Cidadania. O PCdoB de Paulo Fonteles, de João Amazonas, de Expedito Ribeiro de Souza, de João Canuto, de Leila Marcia, de Neuton Miranda, deixa a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos com a certeza de ter travado o belo combate, de ter conseguido mostrar sua política e seu trabalho ao povo paraense.

Pedro Fonteles
Diretor da UAP e militante do PCdoB

sábado, 8 de agosto de 2009

Os Pré-Candidatos

Relacionei a lista dos Pré-Candidatos aos Governos mais importantes do País..

São Paulo - Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Ciro Gomes (PSB), Marta Suplicy (PT), Dr.Helio (PDT), Aldo Rebelo (PCdoB)

Minas Gerais - Hélio Costa (PMDB), Anastassia (PSB), Jô Moraes (PCdoB) e Patrus Ananias (PT)

Rio de Janeiro - Sérgio Cabral (PMDB), Lindberg Faria (PT), Anthonny Garotinho (PR), Fernando Gabeira (PV), Marcelo Crivela (PRB) e Cesar Maia (DEM)

Bahia - Gedel Vieira Lima (PMDB), Jacques Wagner (PT), Paulo Souto (PSDB)

Rio Grande do Sul - Germano Rigotto (PMDB), José Fogaça (PMDB), Tarso Genro (PT), Yeda Crussius (PSDB), Alceu Collares (PDT)

Paraná - Beto Richa (PSDB), Gleisi Hoffman (PT) e Orlando Pessuti (PMDB)

Distrito Federal - Arruda (DEM), Joaquim Roriz (PMDB) e Agnelo Queiroz (PT)

Pará - Jáder Barbalho (PMDB), Simão Jatene (PSDB), Ana Júlia Carepa (PT), Duciomar Costa (PTB), José Priante (PMDB)


No proximo post, coloco os outros estados.

Congresso de Vereadores e Prefeitos

Os meus amigos Pedro Nelito e Alessandro Amaro estão na coordenação do 1º Congresso de Vereadores e Prefeitos do Estado do Pará.O objetivo é proporcionar um grande debate em torno da Reforma Política que se aproxima, vamos debater:- Financiamento público de campanha;- Voto distrital;- Lista fechada;- Federações partidárias;- Cláusula de barreira;- Fidelidade partidária;E mais palestras:- "A gestão pública moderna e o desafio do desenvolvimento sustentável".- "A prestação de contas da Administração Pública Municipal perante o TCM - As inovações do e-contas para 2009".Data: 28 a 30 de agosto de 2009.Local: Auditório do Hotel Privê do Atalaia (Ilha do atalaia - Salinas - Pará).Apoio:- Tribunal de Contas do Estado do Pará - TCE/PA.- Tribunal de Contas dos Municípios do Pará - TCM/PA.Inscrições: www.portalejus.com.br

Juventude de Pirabas

Ocorreu no dia 05 de agosto a fundação do Diretório Municipal de São João de Pirabas do PMDB. Na oportunidade a JPMDB/Pará foi representada pelo companheiro Alcides Oliveira da JPMDB/Bragança que deu posse ao novo presidente do PMDB Jovem, o Vereador Tadeu.
Estiveram presentes no evento o Prefeito Claudio Barrosso os deputados federais Jáder Barbalho,Asdrubal Bentes,Elcione além da deputada Estadual Simone Morgado e do ex-deputado Federal José Priante

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Plano de Governo

Para os que dizem que o PMDB não tem um programa para o Brasil, o partido cm o apoio de seus 27 Diretórios Estaduais, discute os problemas da sociedade brasileira e democraticamente apresentam soluções cabíveis as demandas. Aqui no Pará estamos construindo a cartilha junto com expoentes políticos do Pará como Romero Ximenes,Hildegardo Nunes,Carlos Xavier,Joaquim Lemos entre muitos outros quadros técnicos do Estado.

Na onda do Twitter

Não resisti.. agora sou mais um integrante do Twitter..
Viva a comunicação alternativa..

http://twitter.com/igornormando

terça-feira, 4 de agosto de 2009

UAP e UMES tomam posse

Dia 11/08 ás 9:00 da manhã no Auditório João Batista na Assembléia Legislativa, acontecerá a posse das Diretorias da UMES e da UAP.

O Secretário Geral e o Tesoureiro da Entidade Universitaria são da Juventude peemedebista

PCdoB pode perder Sejudh

O PCdoB pode perder Secretaria estratégica no Governo Petista em troca levariam o Centur.

domingo, 2 de agosto de 2009

Direito de Resposta

Brasília (02/08/2009) - Em sua última edição, a revista VEJA dedicou a capa e oito páginas de reportagem ao PMDB. O material jornalístico se perdeu em meio a afirmações pontuais que pecam, ora pelo exagero, ora pela desinformação. Com todo o respeito aos editores da prestigiosa publicação e aos seus leitores, o PMDB tem quatro principais reparos a fazer no material publicado:
1.O PMDB tem identidade e espinha dorsal bem definidas, ao contrário do que afirma a publicação. Seu compromisso com a liberdade democrática e com os avanços sociais são inarredáveis e públicos, ambos devidamente inscritos no programa partidário. O PMDB estava em linha com seu programa partidário quando apoiou a eleição de Tancredo Neves e o governo de José Sarney. Foi assim que o Brasil conquistou a democracia. O PMDB estava em linha com seu programa partidário quando apoiou o governo Itamar Franco, expoente do partido. Foi assim que o Brasil conquistou o Plano Real, um notável avanço social. O PMDB estava em linha com seu programa partidário quando apoiou o governo de Fernando Henrique Cardoso. Foi assim que o Brasil iniciou o processo de estabilização econômica. E o PMDB está em linha uma vez mais com seu programa partidário ao apoiar o governo do presidente Lula,autor nada mais nada menos do que o maior projeto de distribuição de renda do mundo entre outras conquistas admiráveis no campo da estabilidade, da institucionalização nacional, e do respeito à democracia. Um partido deve ser cobrado quando lhe falta coerência. Não quando é, como o PMDB, co-responsável por transformações positivas e por avanços que só melhoram a qualidade de vida dos brasileiros menos favorecidos. O PMDB orgulha-se de suas opções e sabe que tem ajudado o Brasil no limite de suas forças. As críticas, quando justas, só nos ajudam a melhorar.
2. O PMDB é, há décadas, a base da governabilidade e não o paroxismo do fisiologismo como afirma a revista. Política se faz com alianças programáticas, como demonstrado no item anterior. Os cargos públicos são apenas conseqüência de ideais convergentes. Todo partido se orgulha dos quadros técnicos que possui. No caso do PMDB os bons quadros se acumulam em virtude de sua extensa experiência administrativa. Neste exato momento, o partido administra 1 201 prefeituras e nove governos estaduais. No Poder Legislativo, sua bancada conta com 8 500 vereadores, 172 deputados estaduais, 95 deputados federais e dezenove senadores. Natural que possua quadros para ajudar o governo do presidente Lula em áreas onde pode fazer a diferença.
3.É difícil pensar em algo mais injusto do que montar um quadro intitulado “O PMDB e seu bocado no governo federal”, como fez a publicação. A simples listagem dos ministros do PMDB acompanhados das verbas públicas abrigadas em suas pastas dá a quem lê uma impressão equivocada. A arte deixa a sensação errada de que os seus titulares têm o poder de destinar verbas livremente. Nem o país institucionalizado como o Brasil, com poderes claramente construídos e atribuições bem definidas, sabe-se que a quase totalidade dos recursos federais é carimbada por computador. Sabe-se, ainda, que todos os investimentos realizados são resultado de licitações monitoradas pelo Tribunal de Contas da União. Uma consulta ao banco de dados do governo federal pode mostrar claramente como as verbas são alocadas. Nenhum ministro de Estado, seja do PMDB ou de qualquer outro partido toma decisões com a liberdade que a revista sugere no material publicado.4. O PMDB se orgulha de não manter estrutura baseada em caciques apontado pela revista como defeito partidário. Caciques são a expressão do atraso. O PMDB se alimenta da força de seus dois milhões de filiados e no apoio de seus eleitores. Sem votos não haveria PMDB. No pleito de 2006, o partido obteve 16,8 milhões de votos para governador. Em 2008, foram 18,5 milhões de votos para prefeito. São números que falam por si. Se o PMDB estivesse no caminho errado, por que tantos eleitores prefeririam a agremiação? Sugerir que os eleitores do PMDB são menos informados do que os eleitores dos demais partidos é brincar com a inteligência das urnas. Sobre as divergências, é preciso frisar que são comuns em todos os partidos, até mesmo nas agremiações de pequeno porte. Diga-se de passagem, ocorrem inclusive em empresas privadas de qualquer tamanho, até nas familiares. O PMDB acata com humildade o descontentamento de alguns poucos integrantes que perderam espaço político e apostaram na fama efêmera oriunda de acusações vaias. E faz isso porque acredita piamente na democracia. A estes, o recado: podem deixar a legenda o quanto antes sem risco algum de perder o mandato. Ganharão eles, porque deixarão de pertencer ao partido do qual falam tão mal, e ganhará o PMDB, por tornar-se ainda mais coeso e musculoso. O PMDB espera que tais reparos sejam recebidos como uma contribuição ao contraditório, próprio do bom jornalismo, e espera assim colaborar para elevar o debate em torno da qualidade da política brasileiraDeputado Michel Temer, presidente licenciado do PMDB Deputada Iris de Araújo, presidente do PMDB Brasília, DF

terça-feira, 21 de julho de 2009

JPMDB e o Congresso da UNE


Foi um sucesso a participação da JPMDB no 51º congresso da UNE, em Brasília. Pela primeira vez levando bancada independente (até então o MR-8, que se desligou do PMDB no início desse ano, era o responsável pelo movimento estudantil do partido), a Juventude do PMDB apresentou a tese Diretas Já, que pede a eleição direta da direção da entidade, já que hoje ela é eleita pelos delegados dos estados em um congresso bianual. Outra conquista nossa foi a eleição, nesta edição, de 98 delegados da JPMDB, uma marca histórica de represntação na entidade. O novo presidente da UNE, que substituirá Lúcia Stumpf, é Augusto Chagas, da USP. Ambos são do PC do B.

A JPMDB/Pará (Foto) levou a terceira maior bancada da JPMDB para o congresso, representando através de seus delegados 24 mil estudantes universitários

Juvêncio por Alex Fiuza

Juvêncio partiu sem ter tido tempo de dizer adeus. Também não avisou, desta vez, de seus passos, como de costume, em seu blog. Diante da notícia imprevista de sua doença incurável, simplesmente congelou as postagens, antecipou desculpas por “problemas técnicos”, recolheu-se, em silêncio, entre os seus mais próximos, e ensaiou um último e indizível ato existencial, sem comments, vivido interiormente na dor consciente e lúcida de seu iminente ocaso.
Também em sua hora final “Juca” rasgou os scripts, surpreendeu a todos, não esperou mais tempo, negou o “normal”, o “lógico” – e manteve tudo inconcluso, polêmico, surpreendente, em plena sintonia com tudo o que fez e defendeu em vida.
Economista de formação, mas profissional da comunicação por opção e paixão – sem diploma específico, como ria e se orgulhava –, foi nesta área de atuação que deixou a sua maior e melhor contribuição à sociedade paraense. Seu blog Quinta Emenda, hoje um ícone da mídia local e regional, já havia alcançado no último mês de junho uma impressionante média de 2.000 consultas diárias e seguia um rumo consagrador que colocaria o seu mentor, muito em breve, em destaque nacional. Referência obrigatória para todos os leitores interessados em notícias de última hora e de conteúdo confiável, com comentários e análises instigantes e honestas, o Quinta inovou na linguagem e no estilo de fazer jornalismo. Pérolas que marcarão a memória da imprensa paraense – como “Nova Délhi” (Belém vista em seu subdesenvolvimento caótico), “Ivecezal” e “Folha Nariguda” (denúncia humorada à parcialidade dos dois maiores veículos da imprensa local), “Nacional”, “Tapiocouto”, “Jatemar”, “Sobrancelhudo” (referência satírica a políticos da terra) –, criaram uma forma de denúncia, com humor e sarcasmo, da mediocridade, improbidade e mandonismo ultrapassado dos donos do poder local e das elites periféricas e improdutivas. Para “Juca”, a injustiça, no Pará, era tanta e desmedida, que, inclusive, vestia toga. E não por acaso sua última postagem no blog Quinta Emenda, autorizada em cama, já doente, em favor de Lúcio Flávio Pinto, foi contra os abusos do Poder Judiciário dessa terra de impunidades, sem lei, sem ética, sem direitos, sem vergonha, que lhe faziam sentir-se um permanente estrangeiro em sua própria pátria.
Seu mal-estar em permanecer num ambiente politicamente inóspito fez com que já estivesse planejando sair de Belém e do Pará, a contra-gosto, num ato de protesto contra o status quo dominante e como um exercício de sobrevivência intelectual e moral. Não via, a curto prazo, luz no fim do túnel, a contar a ausência de perspectivas num meio político contaminado pela metástase da corrupção e do oportunismo demagógico.
Juvêncio defendeu, sim, ao longo de sua biografia uma tese (a única concluída) com distinção e louvor: a da honestidade e da coerência. Qualificou-se nesses itens, como profissional e como homem, a exemplo de poucos (incluídos os doutores de beca), condição e referência que lhe lastrearam admiração e respeito por tudo o que escrevia e informava, até de seus adversários mais ilustres – que no momento do adeus, qual num filme de Felini, lhe mandaram, despudoradamente, flores.
Hoje, depois das últimas tribulações, Juvêncio descansa em paz, ao lado de seus entes queridos. Foi-se fisicamente, sim, mas permanece entre nós, na lembrança, como modelo àqueles que lutam por cidadania plena num país sem república, pelos direitos humanos numa terra de exclusão e por prerrogativas democráticas numa nação de cultura patrimonialista e autoritária.
Obrigado, caro Juca, por teres existido; pela originalidade, oportunidade e justeza de tuas reflexões e escritos. Pela coragem e força de tuas palavras e criações. Ainda que por pouco tempo (menos do que pretendias), conseguistes incomodar os acomodados na impunidade e nos privilégios – os “grandes ladrões”, como os define o poeta Jorge de Lima. Deles, um dia, de tão miúdos e desprezíveis, não restarão que cinzas e esquecimento. Ao contrário, tu permanecerás, para além deles, pela boa e memorável influência de tua obra e exemplo de caráter. Para parafrasear Mario Quintana: eles passarão; tu, passarinho... Voa, então, para sempre, em paz!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Com o neoliberalismo, é mais fácil

Por Alan Lemos:

Hoje estava conversando com um grande colega sobre mercado acionário, eleições municipais, neoliberalismo e soberania. Falamos de comércio exterior, subsídios agrícolas e diferenças das políticas públicas entre países ricos e não-ricos.Pois bem, em um dos pontos altos da conversa, perguntei: o que seria mais fácil, Vargas tentar fundar uma petrolífera em um Brasil sem tradição de petróleo ou simplesmente terceirizar para uma multinacional, apenas cobrando royalties? A resposta é óbvia, deixar os outros fazerem é bem mais fácil.Mas daí a questão permeia por outro mérito: se algo vem fácil, ele também vai-se fácil. Construir uma empresa de petróleo atrelada a um órgão comprometido com o país (o Estado) gerou maior lucro à nação que delegar essa função a algum órgão com menor comprometimento (uma multinacional, por exemplo). O que eu falo não é da boca para fora, o Brasil é um país com alta remessa de lucros para o exterior.O dinheiro do petróleo, ao invés de ser externado na forma de lucros, ficou para os cofres a União e foi revertido na forma de mais pesquisas petrolíferas. Isso que falo certamente é de dar raiva em qualquer tradicionalista. Cobrar impostos é mais fácil que tentar gerar lucros estatais.Mas na economia não podemos só nos prender ao tradicionalismo, e talvez em qualquer ramo, precisamos gozar de uma visão mais ampla, enchergar a mesma realidade através de uma outra ótica. Talvez isso que falte a muitos economistas.A questão que aqui enfoco sobre o neoliberalismo é que ele é basicamente um sistema de terceirizações, onde o ideal (pelo menos como é exposto) seria delegar tarefas, não fazer a própria comida, mas sim comprar pronta, não pintar a própria casa, mas mandar pintá-la, um país importar boa parte do que precisa, etc.Ou seja, minha opinião sobre esse tradicionalismo é que ele demonstra, ou acaba levando, ao comodismo e passividade. Por exemplo, se quisermos manter mais dólares no Brasil, o que seria mais fácil: exportar mais soja (produto de baixo valor agregado) e importar tecnologia ou tentar desenvolver pesquisas e assim não precisar importar tanta tecnologia e não precisar exportar tanta soja?Bem, como produzir o próprio consumo (nacional) denota uma menor dependência do comércio externo, e acaba sendo uma quebra de passividade, então deve ganhar a insatisfação do liberalismo.

Alan Lemos é estudante de Ciências Econômicas da UNAMA e Secretário de Formação Política da Juventude do PMDB - Pará.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Parabéns Pérola do Caeté


Hoje a linda cidade de Bragança faz 396 anos de história.

PMDB quer ser o maior na ALEPA em 2010

O PMDB vem com uma chapa muito forte para a Assembléia Legislativa do Pará, além dos sete deputados que irá concorrer à reeleição, nomes fortes do partido resolveram disputar uma cadeira como os ex-prefeitos,vereadores,vices e até mesmo Prefeitos eleitos em 2008. Existe uma grande possibilidade de novas filiações como exemplo a do ex-vereador de Belém, Zeca Pirão e do Ex-prefeito de Castanhal, Paulo Titan.

PS: A deputada Federal Bel Mesquita (Ex-prefeita de Parauapebas) deve concorrer a ALEPA também.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Blog da Helena

".. Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas.."

uso um fragmento da música de Chico Buarque para anunciar o mais novo link do blog http://www.helenachermont.blogspot.com/

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Cine Clube




Uma releitura da peça de Gianfrancesco Guarnieri (1958), adaptada para a conjuntura das lutas sindicais do início da década de 80 em São Paulo. Centrada no tema da greve, o filme aborda o conflito de gerações. De um lado, o pai, velho líder sindical, inflamado pelas lutas do operariado. De outro, o filho individualista que credita à militância do pai a miséria em que sempre viveram. Por conta da notícia de que terá um filho, resolve furar a greve, gerando agudo conflito no interior da família.A temática passa pela questão do abismo social entre proprietários e trabalhadores e a repressão oficial a qualquer movimento reivindicatório.Revela uma nação dividida, contrastada com o discurso oficial de unidade e mobilização conjunta para a construção da nacionalidade típico do regime militar.




Vale a pena conferir..

Novos links

Novos endereços foram adicionados ao lado na barra de favoritos, neles o Blog do Tiago Martins e da Ana Sabbá. Ambos demonstram um olhar jovem sobre os temas da nossa sociedade.

A realidade da Juventude no Pará

O “Governo Popular” faz uma administração totalmente contraria do que pregava em seu plano de Governo, apresentado em período eleitoral. Me recordo que o Programa de Juventude foi elaborado por David Carneiro, um amigo muito valoroso e capacitado, o programa tinha como exemplo o “Minha primeira-terra”, onde o governo através de parcerias faria a divisão de lotes e daria oportunidade a juventude de se inserir no mercado rural, fomentando o empreendedorismo para o jovem agricultor.

Hoje posso falar com propriedade que o “Governo Popular” não faz políticas publicas de juventude. Pouco ouviu falar da coordenadoria do núcleo, e talvez não por culpa de quem coordene mais pelo pouco apoio recebido. Os jovens de 16 a 25 anos representam aproximadamente 35% do eleitorado paraense e mereciam ser tratados com maior respeito por parte do poder público. Como venho batendo, merecíamos ter uma Secretária de Juventude, para formular e executar PPJ’s. Merecemos ter programas que efetivamente venham suprir as necessidades da galera das escolas, da cultura e principalmente das periferias, onde a situação é cada vez mais difícil (abordarei mais tarde este tema). Os únicos programas que vemos são o Pro jovem (que é proveniente do Governo Federal) e o Pro - Campo, que não desmerecendo o programa, não representa uma alternativa para a juventude que realmente precisa que é a faixa mais pobre do estado.

Por isso, juntamos vários jovens de diversos segmentos e estamos construindo um Programa de Juventude, para entregar aos militantes do PMDB e possivelmente para o nosso candidato ao Governo do Pará.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Líder nas pesquisas

Não me pronunciei neste espaço sobre as pesquisas de intenção de voto que tenho visto porem, esta é a terceira que tenho acesso. Em todas indicam o deputado Federal Jader Barbalho com larga vantagem em relação ao segundo colocado.

terça-feira, 30 de junho de 2009

JPMDB-PA cresce 300% para a UNE

A Juventude do PMDB/Pará cresceu 300% em relação ao Congresso passado. Levamos apenas 6 delegados em 2007. No CONUNE que acontecerá em Julho, em Brasília, levaremos 24 delegados, a mesma delegação da JPMDB de Minas Gerais, que, diga-se de passagem, é bem maior que o Pará em número de habitantes, isso mostra o crescimento dos jovens peemedebistas no cenário nacional.

Helder e a Juventude

Ontem fiz uma visita ao Prefeito de Ananindeua e ex-presidente da JPMDB, Helder Barbalho, conversamos sobre o núcleo jovem do partido, isenção de políticas publicas para a Juventude no Plano de Governo do PMDB e sobre os projetos que ele tem para o segmento. Helder se mostrou sensibilizado as nossas reivindicações e prometeu nos ajudar na oxigenação de quadros dentro do partido.


No final do bate-papo presenteei Helder com o livro “A Juventude e a Revolução democrática” de Leopoldo Vieira.

sábado, 27 de junho de 2009

Força Jovem


Estive batendo um papo com o grupo “Força Jovem” da Igreja Universal, na conversa me deixei à disposição deles e convidei a juventude para debater os problemas enfrentados por eles no dia-a-dia, bem como suas soluções. Independente de religiões acredito que nós jovens devemos nos unir em torno de um projeto unificado.

Festa Junina no Curió



É sempre bom voltar ao Curió - Utinga, mesmo não sendo morador do bairro, os moradores me colocaram entre os cinco mais votados para a Câmara Municipal em 2008. Sempre sou bem recebido por lá. Tenho um carinho muito grande por todos os que fiz amizade durante este período.

Unidos somos +


Foi com grande euforia que cerca de 120 jovens prestigiaram a posse da JPMDB de Belém,Ananindeua,Marituba e Santa Barbara do Pará.
No evento a JPMDB aprovou a moção de apoio a candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado.

terça-feira, 23 de junho de 2009

I Encontro Metropolitano do PMDB JOVEM


I ENCONTRO METROPOLITANO DO PMDB JOVEM


Data: 27/06 (Sábado)

Local: Câmara Municipal de Ananindeua

Hora: 9 horas


Estaremos lançando no encontro a campanha "Eu quero votar 15" que irá defender dentro do partido a tese de candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado do Pará.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Arraial com muita pavulagem


Fotos do jovem Fotógrafo Rodrigo Correia

Nota de esclarecimento

Navegando pelo blog do meu amigo Rodrigo Moraes, presidente da UJS (União Juventude Socialista) me deparei com uma publicação em que o companheiro dizia que a JPMDB seria “oposição a UNE”, confesso que foi com espanto que li a mensagem agressiva e sem fundamento, tendo em vista que a JPMDB é BASE da UNE através do “Movimento Mutião”. Em momento algum publicamos alguma nota de que seriamos contrários a Direção da Entidade, que como falei anteriormente fazemos parte.

Defender uma posição sem retaliação é direito conquistado através de muita luta por aqueles que nos antecederam dentro do Movimento Estudantil e disso não abrimos mão, a JPMDB esteve e está ao lado da UJS em vários processos aqui no Pará, sabemos de nossa importância no cenário político-estudantil e não iremos nos amedrontar com ameaças desnecessárias. Nosso aliado prioritário sempre foram os jovens Comunistas, e se for da vontade da Direção Estadual da Juventude o nosso isolamento (O que eu não acredito), teremos que buscar outros caminhos sem nenhum medo ou problema, pois, o PMDB Jovem não esta em busca de cargos e sim de resgatar a representatividade perante a massa Estudantil.

domingo, 21 de junho de 2009

Reunião define posição


A Comissão Estudantil da JPMDB/Pará reuniu e fechou questão quanto à posição no Congresso da UNE. Defenderemos dentro da nossa Tese, as Diretas Já na entidade.

Só buraco


Fiquei impressionado com a quantidade de buracos na estrada que liga o Porto do Arapari a Abaetetuba, o trecho esta visivelmente abandonado pelo poder público e sofre diversas reclamações pelos que passam por lá.

Abaetetuba recebe caravana






Participei ontem do I Encontro da JPMDB/Abaetetuba, momento em que discutimos uma agenda de Políticas Públicas de Juventude no Estado e ao mesmo tempo defendemos candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado. Estavam presentes cerca de 150 pessoas na Câmara Municipal para prestigiar o evento. Participaram da mobilização, o deputado Estadual Parsifal Pontes, ex-deputado Federal José Priante, Vereador Bola, Pres. Diretório Municipal de Abaeté, Vicente Maciel, João Medeiros além do Presidente e Vice do Sindicato dos Aposentados do Pará.
O PMDB Jovem de Abaeté é presidido pelo meu amigo Michel Solano.


sexta-feira, 19 de junho de 2009

Agenda do final de semana

Sabado

9:00 - Posse da JPMDB/Abaetetuba na Câmara Municipal de Abaeté
16:30 - Posse da Juventude do PSDB
19:00 - Festa Junina na Pass. Hortinha

Domingo

10:00 - Plenária da JPMDB para o CONUNE e CONUAP

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Diretas Já na UNE

É grande o descontentamento por parte dos estudantes Universitários com a forma de como é feita a tiragem dos delegados para o Congresso da União Nacional dos Estudantes, os delegados que além de votar os rumos da entidade para o biênio, também escolhem a nova direção. Já não é segredo que a UNE com seus mais de 60 anos, quando foi criada por iniciativa de Getúlio Vargas, está sofrendo grandes desgastes nos últimos anos em detrimento da criação de varias vertentes juvenis que se abriram ao longo do tempo como exemplo a galera do Hip-Hop, da juventude Quilombola e muitos outros movimentos que envolvem o jovem, por isso o Movimento Estudantil, que antes era a única representação juvenil unificada tomou o rumo da fragmentação.
Com este raciocínio acreditamos que a melhor proposta para legitimar o processo democrático e reconstruir o Movimento Estudantil no Brasil é através de eleições Diretas para a UNE. Para que todo o estudante tenha direito a votar e ser votado no congresso, jogando para escanteio os golpes dados por aqueles que se dizem “lideranças” que não têm compromisso com o povo brasileiro e com o poder que emana do povo: O voto. A Juventude do PMDB/Pará contribuirá para a Tese defendida pelos estudantes do núcleo do partido e por isso não abre mão da inserção da proposta de Diretas Já na UNE.

POR UMA UNIVERSIDADE A SERVIÇO DA DEMOCRACIA!

domingo, 14 de junho de 2009

EU QUERO VOTAR 15


Com este slogan a Juventude do PMDB, lança a campanha de mobilização do Partido em torno de uma candidatura própria ao Governo do Estado, bem como, a organização e discussão de um Programa de Governo peemedebista para o Pará.

O Lançamento será feito no I Encontro da JPMDB - Região Metropolitana dia 27/06 ás 09 horas na Câmara Municipal de Ananindeua.

Saudades do Fórum Social Mundial

Esta cada vez mais freqüente o número de assaltos na grande Belém, esta semana tive o celular roubado por quatro jovens em pleno a Marquês de Herval. Definitivamente devo externar minha saudade do Fórum Social Mundial, quando víamos policiais nas ruas..

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Paulo Fonteles Vive!


Recebi o convite do amigo Pedro Fonteles, filho de Paulo Fonteles para participar de um debate sobre as idéias de Paulo Fonteles – Direitos Humanos e Luta pela Terra. Um debate com a parceria da União Nacional dos Estudantes, em memória aos 22 anos de assasinato de Paulo Fonteles, deputado, dirigente do PCdoB, simbolo da luta pela terra, tombou no dia 11 de junho de 1987 pelas balas do latifundio.

Dia 10/06

Local: Auditório João Batista (ALEPA)

Hora: 17:00 h